Conheça de uma vez por todas os impactos da depressão

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

Os diagnósticos de depressão têm sido cada vez mais frequentes e os números são alarmantes. É a terceira causa de morte mais recorrente no mundo entre a população adulta, e a segunda entre adolescentes e adultos jovens. Estima-se que cerca de 20% da população mundial irá apresentar o quadro da doença ao longo da vida. Mas apesar desses números alarmantes muita gente ainda não sabe de fato o que é e quais são os impactos da depressão.

Uma preocupação mundial


A incidência é mais comum na idade mais produtiva do ser humano (entre 20 e 45 anos). E justamente por afetar essa faixa de idade, os impactos da depressão na economia são gritantes. Ela está hoje entre as doenças que mais causam afastamento de trabalhadores. Um relatório sobre depressão e ansiedade, lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Banco Mundial, aponta que por ano, as duas geram um custos à economia global de US$ 1 trilhão.

Por outro lado a cada US$ 1 investido no tratamento da depressão e da ansiedade, a sociedade ganha um retorno de US$ 4 em economia de saúde e capacidade de trabalho,segundo estudo publicado no The Lancet Psychiatry. Apenas no Brasil em pesquisa realizada pela organização mundial de saúde foi levantado que 36% das pessoas que sofrem os impactos da depressão foram para a Emergência de algum hospital nos últimos 6 meses, 16% delas foram internadas.

A depressão em si nunca vem sozinha. Ansiedade, Insônia, Pânico… Os impactos na vida e na saúde mental das pessoas é enorme.

Os Impactos da Depressão no seu Padrão Mental


As pessoas que já tiveram uma crise depressiva, têm maior tendência a desenvolver um outro episódio, do que aquelas que não passaram por essa experiência. As pessoas propensas à depressão podem ter uma média de cinco episódios em toda a sua vida. Ela conduz a pessoa a instituir um padrão mental negativo que pode acabar levando ao consumo de álcool e abuso de drogas, uma saúde física mais fraca, baixo desempenho no trabalho e nos estudos além de poder também acarretar no afastamento do contato com familiares.

A depressão afeta pessoas de ambos os sexos, de todas as raças, idades e posições sociais. Mas felizmente, estudos mostram que tratamento precoce, pode reduzir a severidade e a duração dos episódios depressivos para a maioria das pessoas.

Existe evidência, entretanto, de que certos grupos de pessoas podem ser mais vulneráveis à depressão do que outros. Antes dos 65 anos de idade, mais mulheres do que homens são diagnosticadas com depressão. E isso poderia ter uma base biológica (de acordo com um estudo realizado pelo Children’s Hospital of Philadelphia)

 

Homem x mulheres


Esse estudo descobriu que os sinais de estresse no trabalho funcionam de forma diferente no cérebro de homens e mulheres. Sendo as mulheres mais sensíveis aos níveis baixos de um hormônio que organiza a resposta ao estresse em mamíferos,  e menos capazes de se adaptar a níveis mais elevados do que os homens.

No entanto, até agora, são desconhecidos os mecanismos biológicos subjacentes que as diferenciam dos homens. Mas após os 65 anos, tanto homens como mulheres parecem ser afetados igualmente. Crianças e adolescentes também podem tornar-se deprimidos, e adolescentes podem ser especialmente suscetíveis.

Depressão entre jovens


Antes era comum não admitir os sinais de depressão em adolescentes, pois acreditava-se que os mesmos faziam parte da variação de humor presente na adolescência, e que os jovens logo superariam.

Atualmente os especialistas reconhecem que os adolescentes são tão vulneráveis a transtornos depressivos quanto os adultos. E levando em conta que nos últimos 30 anos, o índice de suicídio triplicou entre os jovens. Podemos dizer que esse grupo merece um cuidado especial já que é uma tendência trágica e alarmante.

Banner Depressão

Os sintomas da depressão em um adolescente são semelhantes àqueles observados em adultos. Mas podem também incluir, raiva, comportamento agressivo, uma baixa no desempenho escolar.

Também existem outros sintomas, porém iremos abordar-los em uma postagem futura focada somente nisso.

Leia também


vencer a depressão

Vencer a depressão é uma luta de muitos. Ela vem crescendo alarmantemente e hoje já atinge aproximadamente 25% da população mundial segundo dados do Instituto Coração e Vida. Diversas formas de tratamento vem sendo desenvolvidas para melhorar a saúde mental e a qualidade de vida das pessoas. O Conselho Federal de Medicina hoje reconhece a hipnoterapia como uma valiosa prática médica e a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a utilização da hipnose para tratamentos de diversas doenças.

Ela promove melhoria no estado de saúde física e mental através do seu próprio subconsciente criando um ambiente propicio para que a melhora venha de dentro para fora. Em 2010 a Universidade de Stanford lançou um estudo científico onde a hipnose diminuiu o sofrimento de 124 mulheres estudadas com câncer de mama. Já a Universidade da Califórnia em um estudo com fumantes chegou a verificar que o grupo tratado com hipnose obteve 50% melhor resultado do que os demais.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×
Recent Posts